domingo, 15 de setembro de 2013

Para aprender a ler e escrever - RCENI VOL 3

Como é concebida a aprendizagem da linguagem escrita?
Quais são as implicações para a prática pedagógica e quais as principais transformações provocadas por essa nova compreensão do processo de aprendizagem da escrita pela criança?
Estas são as pergunta de muitos estudantes dos cursos de Pedagogia. Perguntas que estão devidamente respondidas no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Vol 3- Conhecimento de Mundo.
É este trecho das páginas 122 e 123 que leremos a seguir
Para aprender a ler e escrever - RCENI VOL 3

Para aprender a ler e a escrever, a criança precisa construir um conhecimento de natureza conceitual: precisa compreender não só o que a escrita representa, mas também de que forma ela representa graficamente a linguagem. Isso significa que a alfabetização não é o desenvolvimento de capacidades relacionadas à percepção, memorização e treino de um conjunto de habilidades sensório-motoras. É, antes, um processo no qual as crianças precisam resolver problemas de natureza lógica até chegarem a compreender de que forma a escrita alfabética em português representa a linguagem, e assim poderem escrever e ler por si mesmas.
Nessa perspectiva, a aprendizagem da linguagem escrita é concebida como:

• a compreensão de um sistema de representação e não somente
como a aquisição de um código de transcrição da fala34;
• um aprendizado que coloca diversas questões de ordem
conceitual, e não somente perceptivo-motoras, para a criança;
• um processo de construção de conhecimento pelas crianças por meio de práticas que têm como ponto de partida e de chegada o uso da linguagem e a participação nas diversas práticas sociais de escrita.

34:Como a escrita alfabética pode transcrever tudo o que é dito, há a tentação de considerá-la como representação completa da emissão do falante. Porém, a escrita não é mera transcrição da fala e representa apenas parte de seu sentido. Uma frase falada em tom irônico, como “Você está linda!”, é escrita da mesma forma que a mesma frase dita em tom sério. Dentre outras coisas, a forma gráfica não determina completamente a interpretação, que precisa ser inferida do contexto.
Quais são as implicações para a prática pedagógica e quais as principais transformações provocadas por essa nova compreensão do processo de aprendizagem da escrita pela criança?
A constatação de que as crianças constroem conhecimentos sobre a escrita muito antes do que se supunha
e de que elaboram hipóteses originais na tentativa de compreendê-la amplia as possibilidades de a instituição de educação infantil enriquecer e dar continuidade a esse processo. Essa concepção supera a ideia
de que é necessário, em determinada idade, instituir classes de alfabetização para ensinar a ler e escrever. Aprender a ler e a escrever fazem parte de um longo processo ligado à participação em práticas sociais de leitura e escrita.

REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEF, 1998.

2 comentários:

  1. Eu acho que o certo é sempre juntar o ler com o escrever sempre. Faz com que a criança vá se acostumando com as palavras e aprender a escrita corretamente. Mas é claro que isto é um processo gradativo.

    ResponderExcluir
  2. gostei muito , muito mesmo desse artigo, gostei demais, sempre bom ler sobre educação, e o ler e escrever devem andar de mãos dadas sempre, um bom leitor escreve bem,

    ResponderExcluir

Complemente esta postagem com suas sugestões. É sempre muito interessante enxergar outras formas de aplicação de determinada proposta ou os muitos pontos de vista de nossas leituras e reflexões.
Esperamos ansiosos sua colaboração!

Pesquisa Ideia Criativa mais de 20.000 sugestões

Esta é a forma mais fácil de encontrar o que você procura neste site.
Basta digitar a palavra e pesquisar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...