domingo, 12 de novembro de 2017

MÚSICA – UMA POTENTE FERRAMENTA DE ENSINO

Artigo sobre Musica no espaço escolar

Por Claudia Freitas JUNGBLUT

RESUMO:A utilização da música no ambiente escolar traz imensos benefícios para o educando em várias áreas. O aumento das habilidades de concentração, memorização, participação e desenvolvimento pedagógico, podem ser potencializadas com a utilização da música em suas diversas formas. Observamos que a melhora no desenvolvimento socioafetivo, também pode ser influenciada pela utilização da musicalização dentro do ambiente escolar. A música em suas várias formas é uma das mais eficientes ferramentas para resolver questões de aprendizado, quando todo o resto falha.
             As disciplinas curriculares podem se utilizar da música como forma de despertar o interesse, de promover a união e, apresentar novas formas de ensino-aprendizagem que trazem maior interesse dos alunos aos temas abordados.
             A educação infantil sendo o princípio de toda uma jornada, possui um enorme potencial para promover o desenvolvimento cerebral e social, encaminhando para os próximos níveis educacionais, pessoas com capacidades mais desenvolvidas e prontas para a melhor assimilação pedagógica, bem como maior inteligência emocional para que os alunos lidem melhor com os desafios cotidianos durante toda a sua jornada de vida. Para isso, a música está para a educação como uma chave que pode abrir portas para lugares antes não explorados, sendo que ela é uma arte de grande aceitação.
              As ferramentas para a utilização da música nas escolas, da musicalização infantil já são bastante pesquisadas e os benefícios são comprovados e acontecem em um curto espaço de tempo. Saber como se utilizar desta ferramenta poderosa é o grande segredo para o sucesso da musicalização infantil.
 PALAVRAS-CHAVES:Musicalização. Educação. Infantil. Música. Escola.
Fonte da Imagem: Family Continuum



 A música como instrumento de aprendizagem.
O ser humano é um ser criativo em essência. É de grande importância que se alimente essa criatividade desde a mais tenra idade e, uma das formas que apresenta excelentes resultados é a musicalização infantil dentro do sistema educacional. Ressaltamos que não deve ser confundida a recreação musical com a musicalização. Na recreação musical não se traça planos com objetivos de alcançar desenvolvimento de conhecimentos na área musical, apenas utiliza-se o tempo como recreação, cantando algumas músicas infantis, com o propósito de entreter, alegrar e fortalecer vínculos. A musicalização traça caminhos para se trabalhar parâmetros sonoros, pausas, intensidade do som, classificação e movimentos sonoros e rítmicos bem como a capacidade de ouvir e distinguir tipos de grupos instrumentais.
Infelizmente a realidade brasileira não permite que cada escola tenha o seu professor de música, para que a musicalização tenha um aproveitamento com maior excelência, o que nos colocaria num plano ideal. Por este motivo, o indicado é que os professores que trabalharão a musicalização infantil nas escolas, procurem materiais e cursos específicos para entenderem melhor a profundidade e o alcance que um bom trabalho de musicalização imprime à vida de cada aluno que vivencia uma boa educação musical, ainda mais na primeira infância.
 O professor que trabalha com musicalização deve imprimir um olhar diferenciado para cada um de seus alunos, para adequar mais sensivelmente as canções, instrumentos e materiais que serão utilizados, sem perder o objetivo traçado. A música proporciona diferentes formas de expressão e quando alguma dificuldade específica é percebida, o professor deve procurar atuar junto com outros profissionais da escola e com a família, para que tais limitações sejam superadas.
Os cuidados com timbres explorados devem ser levados em consideração, pois até os dois anos de idade, o aparelho auditivo do ser humano ainda está em formação e nos berçários da educação infantil pode-se fornecer as primeiras referências sonoras para as crianças, que devem ser agradáveis e não ferir seus ouvidos com sons muito intensos ou altos, para que essa primeira referência produza impressões positivas.
A música estimula a utilização dos sentidos, colaborando no processo de ensino-aprendizagem, independente dos instrumentos utilizados ou o estilo aplicado, promovendo um aumento nas capacidades de compreensão, assimilação, criação, descrição, representação, observação e concentração tanto de quem ouve quanto de quem toca.
Grande parte da nossa manifestação cultural se dá através da música e ela faz fluir nossa capacidade de expressão que, quando estimulada desde cedo se torna uma habilidade importante em todas as etapas de desenvolvimento acadêmico e da vida como um todo.
Através da utilização de diversos instrumentos em sala de aula, observa-se o aumento da criatividade e de habilidades as vezes desconhecidas quanto à criação musical, e tais habilidades serão utilizadas muito além da disciplina de música, estendendo seus benefícios na aprendizagem de outras disciplinas evidenciando o aumento cognitivo e da percepção tempero-espacial bem como no nível de concentração, importantes para o desenvolvimento pedagógico em suas várias fases.
Os benefícios da música na escola, incluem mais interação e cooperação entre os discentes, identificando gostos e interesses em comum, ajudando na formação de grupos afins, o que promove a desinibição de crianças mais tímidas ou com dificuldades de relacionamentos. Também contribui para minimizar os processos de assédio moral (bulliing) dentro do ambiente escolar, pois alimenta a sensação de pertencimento quando um grupo se forma por compartilhar dos mesmos gostos. A música ajuda muito nesse aspecto, diminuindo a agressividade, o isolamento e a timidez.
Alguns professores utilizam a música no intuito de engajar seus alunos, apostando na renovação da relação entre professores e estudantes, tornando a disciplina mais atraente, pois a música tem a vantagem de despertar a atenção dos alunos, trazendo mais foco e concentração durante a explanação do tema, atraindo mais participação no processo de aprendizado, priorizando a horizontalidade das relações entre educadores e educandos.

A utilização como ferramenta multidisciplinar
Todo o aluno com ouvido treinado, que tenha desenvolvido sua capacidade de observação e atenção para as letras das músicas, aquelas aplicadas com objetivos criativos para interpretação e exposição de emoções, pensamentos, ideias e poesias, poderá tornar-se um bom leitor e interprete de textos no futuro.
As oficinas de música e instrumentalização para os estudantes, a utilização de letras nas interpretações de textos em sala de aula, são formas de aguçar a curiosidade, criatividade e sensibilidade, aumentando a integração entre os alunos tanto em sala quanto no ambiente da escola como um todo.
Desta forma, a música se torna uma fonte de conteúdo para ser utilizada, observando-se sempre a qualidade da obra abordada, onde os professores possam explorar o significado de tais letras, abordando novos conceitos, vocabulário, metáforas, rimas, e até trabalhando a criatividade através da paródia, que respeita o ritmo, a divisão silábica, acentuação e melodia, no entanto propõe criatividade e ampliação do vocabulário e raciocínio lógico.
Cabe ao educador a escolha da obra a ser abordada em classe, utilizando as músicas escolhidas como fonte de conteúdo com objetivos pedagógicos, e podem ser o princípio de conversas sobre política, cultura, sociedade, relações interpessoais, ecologia, emoções e aspirações. A escolha da obra utilizada deve passar pela análise do professor e deve ser escolhida levando-se em consideração o potencial de aprendizado contidas em si, bem como sua adequação para o tema, idade e discussão que será proposta.
Através do estudo de artistas e bandas, gêneros e épocas musicais, podemos descobrir alguns objetos de estudo para disciplinas como Língua Estrangeira, História e Geografia, pois a música possui contexto social e temporal onde é inserida. Abrangemos ainda estudos sobre folclore, regionalismos, biografias, cultura regional e movimentos políticos e sociais.
A música pode criar novas conexões entre temas de estudo, disciplinas e discussões, apontando novas ideias, opiniões e acontecimentos, dando nova dimensão aos temas estudados.
Quando bem orientado, o estudo da obra abordada, pode dar maior noção de acontecimentos de épocas, trazendo a arte para um contexto mais plausível, expondo passagens temporais de uma forma mais palatável e realista para alunos que não vivenciaram determinados movimentos políticos e sociais através dos tempos, fazendo com que o assunto abordado tenha maior interesse e traga mais proximidade e interesse pelo tema.
Estudos relacionam o desenvolvimento de algumas habilidades musicais ao raciocínio matemático, pois as partituras e sistemas de cifras utilizados tanto nas composições eruditas quanto nas populares, possuem verdadeiras equações matemáticas e aí envolvemos as escalas, tríades, coerências, adequação de tonalidade, repetições, padrões harmônicos e melódicos e essa estrutura composta de padrões desenvolve as habilidades para o aprendizado da matemática,  que utilizando estruturas de estilo e lógica de sentido contribuem para o aprendizado de raciocínio lógicos fundamentais para o desenvolvimento da aprendizagem de fórmulas entre outros fundamentos matemáticos.
A escolha de um instrumento ou um estilo musical, pode ser aplicada no desenvolvimento da individualidade de cada um, estimulando a autonomia e escolhas acadêmicas durante o processo pedagógico e mais tarde em suas escolhas profissionais. Quando o mundo musical envolve as crianças como ouvintes ou produtores de música, se observa um desenvolvimento mais assertivo em relação as suas vontades e autoconhecimento, desenvolvendo sua individualidade e gostos pessoais.
A inovação, imaginação e criatividade devem estar presentes no raciocínio e no cotidiano dos alunos que são indivíduos em formação, independente da área acadêmica e profissional que será seguida no futuro sendo que a música beneficia a exploração destes lados tão necessários para a vida de todos, pois vivemos em uma sociedade que valoriza mentes despertas, inovadoras e que pensam diferenciadamente e abrem novas perspectivas. Como a música expõe os alunos ao diferente, serve como convite a criar novas teses e novas formas de explorar suas próprias habilidades.

Papel da música no processo de aprendizagem
A música pode ter papel muito importante no desenvolvimento de vários aspectos individuais e sociais do aluno, trabalhando aspectos psicomotores e cognitivos, de linguística e socioafetivos, bem como no auxílio no desenvolvimento da sensibilidade, do ritmo, da criatividade, do imaginário, da concentração e da memória. Também pode ser uma alternativa para tornar o processo de aprendizado em um modo mais lúdico de se conhecer coisas novas e diferentes, podendo a música ser adaptada ao ensino de determinadas matérias para o incentivo a concentração, curiosidade e descontração que são pouco observadas em ambientes escolares, o que transforma a música em um caminho diferente e prazeroso de ensinar e aprender.
A música proporciona momentos de socialização, trazendo benefícios como momentos de descontração, fazendo com que os alunos dancem e cantem, perdendo a timidez e se divertindo com os colegas, o que e por muitas vezes se torna o momento favorito dos alunos em sala de aula.
Os alunos que possuem música em sua rotina tem sua capacidade de concentração e memória aumentadas, facilitando a sua passagem pelo processo de alfabetização, desenvolvimento e compreensão de textos e raciocínios matemáticos.
A música possui a capacidade de ativar e desenvolver uma parte do nosso cérebro que não é ativada quando aprendemos disciplinas tradicionais. Para se compreender e sentir a mensagem de uma música, é preciso desenvolver mais partes do cérebro que são acionadas ao mesmo tempo. A atenção deve ser dividida com melodia, ritmo, velocidade, letra e mensagem e ainda a emoção transmitida pelo somatório destes vários elementos utilizados simultaneamente. Quando falamos de pessoas que participam ativamente da produção da música, tocando algum instrumento, acrescenta-se aí o controle muscular e a capacidade de estar em sintonia com outros participantes, ouvindo e acompanhando precisamente todas as partes envolvidas na produção de uma obra musical. Todo esse envolvimento cerebral e físico proporciona um aumento em seu desempenho e disposição para aprender, melhorando a assimilação de outras disciplinas.
A aula de música possui algumas maneiras de ser aplicada. Pode ser através da utilização de instrumentos melódicos, harmônicos ou percussivos. Para isto é necessário que alguém toque um instrumento e conduza os alunos em outros instrumentos para que todos estejam sintonizados no mesmo compasso e momento da canção, mas também pode ser aplicada como momento de reflexão, onde a turma se reúne para escutar concentradamente uma música para estudar seu conteúdo e debate-lo posteriormente. Essas são algumas formas de se introduzir a música na rotina das crianças.
“A criança, na escola, é um potencial de qualidades e defeitos inerentes a cada ser humano e influenciável por estímulos ambientais. Ajudá-las a crescer consiste em facilitar a eclosão e evolução destas qualidades consideradas boas e neutralizar e anular as más tendências(...) Compete ao professor evitar a dispersão dessa energia, aproveitando o prazer que emana de toda essa atividade, coordenar e disciplinar, com proveito, por meio da música.” (JANNIBELLI, 1980, p 27)

Musicalizar é tornar a criança sensível e receptivas aos sons. Tornar possível o contato com seu mundo interior dando uma apreciação afetiva e criativa aos sons cotidianos que a envolvem. Na maior parte das vezes a musicalização infantil é feita de forma bastante intuitiva e com grande incentivo à participação das crianças de forma criativa quando se toca uma canção em sala de aula, deixando a participação e criatividade livres para serem expressadas da forma como aquele som é percebido internamente pelos alunos individualmente. Neste momento aflora a vivência musical estimulada em casa mesclando-se com os trabalhos feitos em classe. É de suma importância a apreciação positiva das manifestações que afloram durante as aulas de música, tanto na criatividade quanto na manifestação coreográfica da interpretação da obra em estudo.

Objetivos para a percepção dos fundamentos musicais
A percepção sensorial e motora das crianças deve ser trabalhada através do ritmo e dos movimentos corporais. A harmonia contribui para a sociabilização do grupo que vem com a necessidade de executar a obra dentro de um interesse comum a todos e a melodia ajuda a desenvolver a fala, a rapidez de raciocínio e o poder de concentração, e pode servir como ferramenta para aumentar o vocabulário desde que a música escolhida tenha um vocabulário adequado para tal função.
              Para se ouvir música, depende-se dos cincos sentidos humanos que são estimulados pela assimilação dos elementos sonoros e rítmicos e ao se explorar som, ritmo, harmonia, melodia e movimento se dará a descoberta da riqueza de sons e movimentos produzidos a partir do corpo de cada um.
              Ao longo do processo de musicalização acontece uma sofisticação na atividade criadora musical e na parte rítmica que vem das palavras. Situações intelectuais são criadas para favorecerem à aquisição de conhecimentos, sensibilidades e raciocínios mais elaborados, proporcionando o desenvolvimento de outros aspectos importantes como o senso estético, a criatividade, a coordenação motora e o raciocínio lógico.

Considerações finais
 A musicalização infantil não se propõe a ensinar o manuseio de um instrumento e sim criar um vínculo entre a criança e a música desenvolvendo assim seu gosto pela música, o que contribuirá para os aspectos de socialização, alfabetização, expressividade, inteligência, raciocínio lógico e matemático, percepção têmpero-espacial, coordenação motora, capacidade inventiva e imaginária, estética e tato fino.
              A musicalização tende a integrar a criança, porque quando ela canta ou dança junto com um grupo, além de se sentir integrada, compreende o fato de que os outros componentes do grupo possuem a mesma importância que ela e que a cooperação é necessária para possibilitar que os objetivos do grupo sejam alcançados. A prática da música em conjunto torna as crianças mais comunicativas e permite uma consciência mais ativa com as regras de socialização, passando a ter mais respeito pelo tempo e vontade do outro, pela percepção da importância da disciplina, potencializando sua capacidade de interagir e ouvir os argumentos alheios.
              A educação musical desenvolve na criança uma atitude positiva, capacitando-a mais para expressar e entender sentimentos de beleza de criações artísticas. Por meio da música a criança se torna criadora, satisfazendo-se, sentindo-se autora, o que é extremamente positivo para a autoestima.
              A arte na educação capacita a criança para criar, imaginar e reinventar seu mundo, aumentando seu nível de raciocínio e dando-lhe mais criatividade para resolver conflitos, problemas e dificuldades. A música tem seus valores estéticos e resgata o sentido da beleza, da harmonia, do belo, concomitantemente com o desenvolvimento do sentido da ética, que capacita para escolhas mais corretas do que pode ser bom para todos.
              Como vimos aqui, em todos os planos imagináveis na utilização da música dentro do ambiente escolar, alguns pontos positivos foram colocados, reafirmando a importância da utilização da música como ferramenta educacional em todos os níveis de escolaridade, porém salientando que nos primeiros anos da educação infantil os resultados podem ser mais profundos e marcantes, perdurando por toda a vida ativa dos futuros cidadãos em formação.
              Alguns cuidados devem ser respeitados para que o direcionamento da musicalização seja positivo e possa ser aproveitado em todas as disciplinas onde haja espaço para a criatividade tanto do educador quanto do educando, gerando frutos magníficos em vários aspectos educacionais.

Referências Bibliográficas:
JANNIBELLI, EMÍLI D’ANNIBALLE.A Musicalização na Escola. Rio deJaneiro. Poligráfica, 1980.

ZAMPRONHA, M. de L. S. Da Música: Seus usos e Recursos.São Paulo: Editora Unesp, 2002.
MARZULLO, Eliane; Musicalização nas Escolas, RJ: Vozes, 2001.
FARIA, J. de O. A Música no Desenvolvimento Humano: Um Caminho Possível naEducação. São Paulo, Centro Universitário Salesiano de São Paulo, 2001.
           
ANNUNZIATO, V. R, Jogando com os sons e brincando com a música II: Interagindocom a arte musical, São Paulo: Paulinas, 2001.

VEJA TAMBÉM:

Ideia Criativa®. Artigo publicado por Gi Carvalho em . Atividades pedagógicas para Educação Infantil Atividades e planos de aula para professores da Educação Infantil. Classificação: 5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Complemente esta postagem com suas sugestões. É sempre muito interessante enxergar outras formas de aplicação de determinada proposta ou os muitos pontos de vista de nossas leituras e reflexões.
Esperamos ansiosos sua colaboração!

Pesquisa Ideia Criativa mais de 20.000 sugestões

Esta é a forma mais fácil de encontrar o que você procura neste site.
Basta digitar a palavra e pesquisar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...