O papel do professor de educação infantil no combate ao racismo

Você já pensou sobre qual o papel do professor de educação infantil no combate ao racismo?

Vamos pensar juntos?

Racismo, um tema muito comentado no último mês por conta dos protestos nos Estados Unidos.

Boa parte dos brasileiros ficaram comovidos com o episódio terrível que desencadeou a onda de protestos, e a rede  foi tomada por revolta e indignação

Indignação JUSTA e revolta JUSTÍSSIMA eu diria!

Mas curioso e estranho, uma vez que casos similares acontecem em nosso país e a onda é de apoio  ao extermínio de vidas negras

Aparentemente se criou, por aqui,  uma cultura de empatia por pessoas de outras nações enquanto se minimiza ou nega o problema no Brasil.

RECOMENDAMOS:

Colocada essa curiosidade inicial vamos  direto ao tema de nosso post.

Qual o papel do professor de educação infantil no combate ao racismo?

Você já se fez esta pergunta?

Racismo é um tema que tentamos trazer para o centro de nossas discussões constantemente em grupos de educação infantil.

Ao longo de anos convivemos com falas que vão desde:

-O que isso tem a ver com Educação Infantil?

Até a seguinte afirmação:

-Não existe racismo!

A pouca participação mostra muito da falta de interesse em entender o tema.

E as falas equivocadas ( e por vezes racistas) de quem se propõe a debater mostra a necessidade de retornar ao tema diariamente.

Qual o papel do professor de educação infantil no combate ao racismo
O papel do professor de educação infantil no combate ao racismo
Existe no Brasil (mesmo por parte de professores) a negação do racismo ou o entendimento de que o tema não cabe na educação infantil.

No entanto é preciso entender que mesmo os temas mais espinhosos  precisam ser trazidos para o centro de nossas práticas educativas na primeira infância.

Mas, por qual motivo?

Ora, numa tentativa de educar o olhar de nossos pequeninos para que no futuro nós tenhamos uma sociedade mais justa e igualitária

É necessário evidenciar para as crianças como somos incrivelmente diferentes e ainda assim TODOS dignos dos mesmos direitos e do mesmo respeito.

Como assim? Quer dizer que não somos todos iguais?

Diante de uma divindade SIM, em sociedade NÃO!

Há quem defenda que o simples fato de trazer para o centro histórias infantis que falem que todos somos iguais basta para combater práticas racistas.

Mas é um equívoco grande!

SOMOS DIFERENTES!

E é entendendo as diferenças e celebrando a diversidade como no livro infantil Elemer, que educamos o nosso olhar  e olhar dos pequeninos.

Há quem defenda que o simples fato de trazer para o centro histórias infantis que falem todos somos iguais basta para combater práticas racistas.

Mas, o que devemos fazer? Como promover  uma educação anti-racista? Como proteger empoderar as nossas crianças negras? 

Primeiro lutando contra os nossos próprios preconceitos. e abrindo mão de ideias pré concebidas sobre racismo e educação

E como se faz isso?

Existe um bom caminho, o melhor deles eu diria!

Estudando e se inteirando sobre o tema, ouvindo especialistas na área, educando o olhar, etc

Foi pensando nisso que resolvi partilhar uma LIVE maravilhosa com Paulo Fochi  e professora GládisKercher .


Espero que você se dê ao trabalho de ver o vídeo por completo e possa nos grupos em que participa suscitar debates sobre racismo.

E o mais importante dentro da sua sala de aula frente ao seus alunos promover uma educação infantil anti-racista.

Até a próxima

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem