/* leia mais */ /* leia mais */

Pesquisa Ideia Criativa

Modelo de Plano Escolar - Escola Particular de Educação Infantil e Ensino Fundamental 2012.

Depois de vários pedidos de plano de ação para escolinha de educação infantil, decidi procurar algum para postar para nossos coloegas de profissão. Como ainda não tivemos tempo para montar o nosso proprio plano de ação, procurei algum na internet, para oferecer algum suporte a nossos leitores e apoiadores, achei este em: Modelo de Plano Escolar - Escola Particular de Educação Infantil e Ensino Fundamental.
Estou citando a fonte para dar os devidos créditos, e estou postando aqui para garantir que fique disponivel caso o "Conteudo escola" resolva remover por algum motivo.
 
NOME DA ESCOLA.

EDUCAÇÃO INFANTIL
ENSINO FUNDAMENTAL

PLANO ESCOLAR

SUMÁRIO

1. IDENTIFICAÇÃO

2. FINS E OBJETIVOS

3. AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO

4. ALUNOS E COMUNIDADE

5. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E TÉCNICA

6. ORGANIZAÇÃO PEDAGÓGICA

7. CORPO DOCENTE

8. ORGANIZAÇÃO FÍSICA

9. CONSELHOS ESCOLARES E DE REPRESENTAÇÃO

10. ORGANIZAÇÃO DA VIDA ESCOLAR

11. FINS E OBJETIVOS DOS CURSOS

12. DURAÇÃO DOS CURSOS E CARGA HORÁRIA

13. CALENDÁRIO ESCOLAR (ANEXO)

14. GRADE CURRICULAR (ANEXO)

15. ORGANIZAÇÃO E COMPOSIÇÃO CURICULARES

16. AVALIAÇÃO - VERIFICAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR

17. MATRÍCULAS

18. TRANSFERÊNCIAS

19. PROPOSTA PEDAGÓGICA

20. ANEXOS

- GRADES CURRICULARES - 2004

- RELAÇÃO DE PESSOAL - 2004

- PLANTA BAIXA DAS INSTALAÇÕES DA ESCOLA, COM LEGENDAS

- CALENDÁRIO - 2004
1. IDENTIFICAÇÃO

1.1. A Escola

NOME DA ESCOLA. tem sede em São Paulo, Capital, à Rua Dr. Luiz Severiano, 181 - SP - CEP 0700-000 - Tel/Fax 5500-3333, São Paulo - SP - CEP 0700-000 -CNPJ (M.F.) no. 00.330.000/0001-00 e CCM (PMSP) no. 2.222.222.

1.2. A Mantenedora

NOME DA ESCOLA.  é mantido pelo NOME DA ESCOLA.., estabelecida à Rua Dr. Luiz Severiano, 181 - Jardim das Flores, - São Paulo - SP, CEP 0700-000.


2. FINS E OBJETIVOS

NOME DA ESCOLA. tem por finalidade e objetivo oferecer serviços educacionais para crianças e jovens de 18 (dezoito) meses de idade até 16 (dezesseis) anos, nos cursos de Educação Infantil e Ensino Fundamental, de acordo com o disposto na LDB 9.394/96, Deliberação CEE 01/99 e Indicação CEE 04/99 do Conselho Estadual de Educação de São Paulo.


3. AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO

NOME DA ESCOLA. foi autorizado a funcionar pela Secretaria de Estado da Educação de São Paulo, através de publicação no Diário Oficial do Estado de São Paulo, Portaria de 10 de dezembro de 2000 (Processo 3000/0015/2000 - 00) e está jurisdicionada à Diretoria de Ensino 00 da Coordenadoria de Ensino da Região Metropolitana da Grande São Paulo.

4. ALUNOS E COMUNIDADE

A clientela do Colégio Professora Helena Valente é de classe média baixa, predominando famílias onde pais e mães trabalham fora, empregados na indústria e comércio e serviços (escritórios, bancos e funcionalismo público).
A região onde a escola está instalada é predominantemente voltada para residência e pequeno e médio comércios, havendo um bolsão residencial de padrão ligeiramente superior à média da zona sul de São Paulo, cuja ocupação se deu no século passado, em meados dos anos cinqüenta, por comunidade de adventistas.
Em termos de estrutura urbana, a região conta com hospital municipal de grande porte (Campo Limpo), Posto de Saúde, uma Sub-Prefeitura (Campo Limpo), escolas estaduais e municipais de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, além de uma rede de escolas privadas atendendo à demanda de Ensino Básico e Ensino Superior (Faculdade Adventista e uma unidade da UNIBAN).
Apesar disso, é grande a demanda por creches e escolas de educação infantil, por parte de famílias que não têm condições de matricular seus filhos na rede particular.
Quanto à clientela das escolas privadas, esta apresenta um nível de educabilidade superior àquele encontrado nos alunos da escola pública, certamente em função de serem provenientes de famílias mais estruturadas; e isso reflete na capacidade de aprender e na maior facilidade em acompanhar o currículo escolar básico.
A violência é marca registrada na região, sendo um dos bairros - o Jardim Ângela - conhecido pela criminalidade, explorada de modo abusivo pela mídia. Faltam empregos para os jovens e parte dos adultos ali moradores e faltam atividades e áreas de lazer.
O atendimento comercial é bom, havendo grande quantidade de estabelecimentos do tipo padarias, farmácias, pequeno comércio em geral, além de muitos bares e botequins; não há uma só livraria. Também não há grandes indústrias.
É bem servida também quanto ao aspecto religioso: reduto tradicional de adeptos da religião adventista, possui ainda templos de outras confissões evangélicas, além de igrejas católicas, terreiros e umbanda e candomblé.
A maioria das ruas da região é asfaltada, havendo ainda boa rede de água, esgotos, eletricidade, correio e telefonia.
O transporte melhorou substancialmente nos últimos anos, havendo grande número de empresas de ônibus e lotações, além dos serviços do Metropolitano (Linha lilás), inaugurados recentemente. A melhoria dos transportes repercutiu favoravelmente quanto à melhoria da qualidade de vida da população local, dado que sua maioria se desloca, diariamente, para trabalhar em bairros da cidade.

O grande comércio está ausente (à exceção da rede bancária),havendo concentração de supermercados e shopping na região adjacente e polarizadora, Santo Amaro.

5. ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E TÉCNICA


5.1. Organização Administrativa

NOME DA ESCOLA. tem a seguinte estrutura administrativa:

- Direção

- Secretaria


5.2. Diretoria

A Direção da Escola é o núcleo executivo que organiza, superintende, executa e controla todas as atividades desenvolvidas no âmbito da unidade escolar.


Diretor: FERNANDA FERNANDES
Pedagoga formada pela Universidade Lusíada, São Paulo, SP.
Registro MEC.: 0510200, Livro 4, fls. 000, Processo no. 1998.1.00001, de 22.10.98.

5.3 . Administração e pessoal de apoio

- Secretaria

- Zeladoria e Limpeza


Os ocupantes dos cargos de Secretaria, zeladoria e limpeza se encontra no Anexo relativo à relação de pessoal.

6. ORGANIZAÇÃO TÉCNICA

Coordenação Pedagógica

No presente momento, o Diretor do NOME DA ESCOLA. acumula as funções de Coordenador Pedagógico.


7. CORPO DOCENTE

A relação de nomes, formação e função se encontram no Anexo que trata da relação de pessoal


8. ORGANIZAÇÃO FÍSICA

8.2. Educação Infantil e Ensino Fundamental


Sala de leitura e vídeo - para Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Laboratório de Ciências - para Educação Infantil e Ensino Fundamental.

Aulas de judô e aulas de balé - ministradas em salas específicas.

Áreas para Educação Física e recreação

A escola dispõe de áreas coberta (160,00 m2) e descoberta (200,00 m2) para a prática de Educação Física; possui piscina de 10,00 x 5,00 metros e play-ground (100,00 m2), além de pátio arborizado (150,00 m2) e área de recreação e lanche coberta (60,00 m2).

Laboratório de informática

Conta com 20 computadores, 03 impressoras, 2 "scanners", conexão à Internet por banda larga, disponíveis para os alunos de Educação Infantil e Ensino Fundamental.

9. CONSELHOS ESCOLARES E DE REPRESENTAÇÃO


9.1. CONSELHOS DE CLASSE E SÉRIE

Serão efetuadas reuniões dos conselhos de classe e conselhos de série, no Ensino Fundamental, para discussão do processo educativo dos alunos e avaliação de seu rendimento escolar.

As reuniões dos conselhos de classe e série serão realizadas no início do ano letivo, no final do primeiro semestre letivo e no final do ano letivo, podendo ser convocadas reuniões extraordinárias, a qualquer tempo, havendo necessidade para que isso ocorra.

Na Educação Infantil, serão feitas reuniões dos professores e seus auxiliares, juntamente com a coordenação pedagógica, para discussão do processo educativo dos alunos e avaliação de seu desenvolvimento.


9.2. CONSELHO DE ESCOLA

O Conselho de Escola do NOME DA ESCOLA., formado pelo Diretor, Coordenador Pedagógico, Professores e representante da Entidade Mantenedora, tem como finalidade tratar de assuntos ligados ao funcionamento pedagógico e administrativo/escolar do estabelecimento.

9.3. APM - ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES

NOME DA ESCOLA. conta com uma Associação de Pais e Mestres, composta do Diretor, Professores e pais de alunos, com atuação voltada para a melhoria e aperfeiçoamento constantes das condições do trabalho educativo e voltada para a realização de trabalhos de assistência e promoção humanas e comunitários, junto à comunidade onde a Escola está instalada.

10. ORGANIZAÇÃO DA VIDA ESCOLAR

10.1. NÍVEIS, MODALIDADES DE EDUCAÇÃO E ENSINO

NOME DA ESCOLA. oferece, para o ano letivo de 2004, os seguintes cursos:

Educação Infantil - para clientela 18 (dezoito) meses a 6 (seis) anos de idade e nos seguintes níveis:

- Maternal;
- Jardim I;
- Jardim II;
- Pré.

Ensino Fundamental - para crianças e jovens a partir de sete anos incompletos, 16 anos, - 1a. a 4a. Séries.


11. FINS E OBJETIVOS DOS CURSOS


11.1. EDUCAÇÃO INFANTIL

A Educação Infantil, nos termos do Art. 29 da LDB no. 9.394/96, tem como objetivo o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

Leva em conta, ainda, a preparação para o ingresso no ensino Fundamental, com ênfase na preparação para a vida e a cidadania, através do domínio de competências e habilidades que facilitem a inserção social do educando.


11.2. ENSINO FUNDAMENTAL

Nos termos do Art. 32 da LDB no. 9.394/96, são os seguintes os objetivos ensino fundamental:

1. O desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo.

2. A compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade.

3. O desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores.

4. O fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social; e

5. O domínio de competências e habilidades que levem à consciência da cidadania e facilitem a melhor inserção do educando no ambiente social.

12. DURAÇÃO DOS CURSOS E CARGA HORÁRIA


Nos termos da LDB 9.394/96, os cursos de Educação Infantil e Ensino Fundamental terão a seguinte duração e cargas horárias:

- Educação Infantil: 200 (duzentos) dias letivos no ano civil.

- Ensino Fundamental: mínimo de 800 (oitocentas) horas letivas, em 200 (duzentos) dias letivos de efetivo trabalho escolar no ano civil, não incluindo reuniões pedagógicas (que acontecerão fora do horário letivo), com aulas de 50 (cinqüenta) minutos cada.


13. CALENDÁRIO ESCOLAR

O calendário escolar relativo ao período letivo 2004 encontra-se anexado ao presente Plano.


14. GRADE CURRICULAR

As grades curriculares - de Educação Infantil e Ensino fundamental - relativas ao ano letivo de 2004, organizadas por disciplinas e horários, encontram-se anexadas ao presente Plano.

15. ORGANIZAÇÃO E COMPOSIÇÃO CURRICULARES


15.1. Educação Infantil

A Educação Infantil está organizada em quatro etapas:

- Maternal;

- Jardim I;

- Jardim II;

- Pré.


O critério de agrupamento de alunos é feito segundo faixa etária, nos níveis Maternal , Jardim I, Jardim II e Pré, relacionando os alunos por ordem numérica e alfabética do pré-nome.

Embora o critério básico adotado quanto ao agrupamento dos alunos seja o de homogeneidade de idades, serão atendidas as exigências quanto às diferenças individuais.

Haverá momentos no desenvolvimento das atividades em que o agrupamento vertical permitirá o relacionamento de crianças com idades e desenvolvimento diferentes, possibilitando a interação.


15.2. ENSINO FUNDAMENTAL

O Ensino Fundamental está organizado em séries e os currículos são organizados de acordo com o Art. 26 da LDB 9.394/96, em Componentes Curriculares - Base Nacional Comum e Componentes Curriculares - Parte Diversificada.

I - Base Nacional Comum

- Língua Portuguesa;
- Arte;
- Educação Física;
- História;
- Geografia;
- Ciências;
- Matemática;
- Ensino religioso.

II - Parte Diversificada

- Inglês;
- Informática.


Temas de transversalização

- Ética e cidadania;
- Diversidades culturais;
- Educação ambiental;
- Saúde;
- Orientação sexual;
- Trabalho e consumo;
- Temas locais.


Observações

a. A parte diversificada do currículo segue os referenciais - Temas Transversais - contidos nos PCNs - Parâmetros Curriculares Nacionais e será utilizada para contextualizar, sempre que possível, os conteúdos das disciplinas da Base Nacional Comum.

b. O ensino religioso, de caráter obrigatório dentro do calendário escolar, será ministrado de acordo com o previsto no Art. 33, Parágrafo segundo, da LDB no. 9.394/96, na Indicação CEE-SP/07/2001 e Deliberação CEE-SP/16/2001.

16. AVALIAÇÃO - VERIFICAÇÃO DO RENDIMENTO ESCOLAR

A avaliação é uma atitude constante em todo trabalho planejado. É a constatação da correspondência entre a proposta de trabalho e sua consecução.


16.1. Avaliação na Educação Infantil


No COLÉGIO PROFESSORA HELENA VALENTE, a avaliação na Educação Infantil tem por finalidade verificar a adequação do desenvolvimento do aluno face aos objetivos propostos, levando-se em consideração as características da faixa etária.

A avaliação na Educação Infantil tem ainda a finalidade desenvolver no aluno todos os pré-requisitos necessários para o início da aprendizagem sistemática.

Os resultados da avaliação são informados aos pais ou responsáveis, bimestralmente, através de relatório de observações em face dos conteúdos desenvolvidos em cada uma das etapas da Educação Infantil.


16.2. Avaliação no Ensino fundamental


No Ensino Fundamental, a avaliação de aproveitamento escolar do aluno tem por objetivo a verificação das aprendizagens qualitativa e quantitativa, com a preponderância do aspecto qualitativo sobre o aspecto quantitativo.

Os resultados da aprendizagem são aferidos através de avaliação sistemática e contínua dos trabalhos, pesquisas, experiências, exercícios, leituras e provas.

As avaliações serão bimestrais e as médias serão expressas em conceitos ÓTIMO, BOM, REGULAR, INSATISFATÓRIO, para cada componente curricular, sendo necessária a obtenção do conceito mínimo REGULAR para a promoção.

A equiparação dos conceitos a notas quantitativas é feito da forma seguinte, de acordo com o previsto no Regimento Escolar:

- ÓTIMO - NOTAS DE 9,0 A 10,0;
- BOM - NOTAS DE 7,0 A 8,0;
- REGULAR - NOTAS DE 5,00 A 6,00;
- INSATISFATÓRIO - ABAIXO DE 5,00.
-
-
16.3. Objetivos da Avaliação

São objetivos da avaliação:

1. Acompanhar e verificar o desempenho e a aprendizagem dos conhecimentos.

2. Verificar se o aluno transfere conhecimento na resolução de situações novas.

3. Avaliar se o aluno está se apropriando dos conhecimentos e se estes estão sendo significativos e contínuos.

4. Detectar, analisar e retomar a defasagem no aprendizado.

5. Repensar novas estratégias de trabalho em classe.

16.4. Instrumentos de Avaliação

São Instrumentos de avaliação

1. Todo trabalho realizado com o aluno é em potencial um instrumento de avaliação.

2. Provas, trabalhos de pesquisa, listas de exercícios (individuais ou em grupo), entre outros, devem avaliar os conteúdos e habilidades de forma clara e inteligível.

3. Os instrumentos devem avaliar o aluno passo a passo, de forma contínua.

4. São igualmente importantes a auto-avaliação e a avaliação formativa.

5. Toda proposta deve levar o aluno a estar em contato com a construção do conhecimento.

6. Os instrumentos devem avaliar o raciocínio e a criatividade do aluno.


16.5. Critérios de Avaliação

O sistema de avaliação do NOME DA ESCOLA. compreende os critérios de:

- Avaliação do aproveitamento escolar.

- Apuração de frequência.

Ao término do ano letivo será extraída a média anual final do aluno em cada componente curricular, que será resultante da média aritmética das notas de cada bimestre.

Ao término do ano letivo, será considerado promovido o aluno que obtiver número total de conceitos anual igual ou superior REGULAR em todas as disciplinas e frequência anual, igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) em cada componente curricular.


16.6. Recuperação

O aluno de aproveitamento insuficiente será submetido a estudos de recuperação.

Os estudos de recuperação são realizados regularmente, no decorrer dos períodos letivos, através de atividades escolares suplementares, orientadas pelo professor da classe, com programação estabelecida pela coordenação pedagógica.

Os períodos de recuperação precederão os períodos das avaliações bimestrais e finais.

A Escola assegurará ao aluno com aproveitamento INSATISFATÓRIO, estudos de recuperação antes do fechamento da última síntese de avaliação.

16.7. Promoção

A verificação do rendimento escolar decorrerá da avaliação do aproveitamento e apuração da assiduidade.

Será considerado promovido para a série subseqüente ou concluinte do curso, o aluno que obtiver freqüência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) e
conceito final , no mínimo, REGULAR.

O aluno com freqüência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento) e conceito INSATISFATÓRIO poderá ser promovido, se submetido às atividades de recuperação, nos termos regimentais.

A promoção nos componentes Educação Física e Ensino Religioso decorrerá da apuração de assiduidade.

A promoção por assiduidade não exclui a responsabilidade de avaliação dos conteúdos trabalhados.


16.8. Retenção

Serão considerados retidos:


- Os alunos que não apresentarem assiduidade compatível a, no mínimo, 75% (setenta e cinco por cento) do total de horas letivas dadas e total de dias letivos
- previstos pela legislação educacional em vigor, independentemente do rendimento escolar.

- Os alunos que apresentarem rendimento escolar inferior ao conceito REGULAR em cada componente curricular, apesar de submetidos às atividades de recuperação e independentemente da assiduidade mínima exigida pela legislação educacional em vigor.


16.9. Freqüência

É obrigatória a freqüência às aulas previstas no calendário escolar anual, com necessidade do mínimo de assiduidade correspondente a 75% (setenta e cinco por cento) do total de aulas dadas, nos termos da LDB. No. 9.394/96.


A Educação Infantil deverá seguir a orientação de assiduidade proposta pela LDB no. 9.394/96, mas não em caráter obrigatório, em função da especificidade dos níveis de atendimento dessa modalidade educacional.

As presenças e ausências dos alunos às atividades escolares serão registradas pelos professores e enviadas à Secretaria.


Faltas às atividades escolares não serão abonadas, salvo nos casos expressos na legislação vigente.

Os dados relativos à apuração de assiduidade serão comunicados ao aluno e aos pais ou responsáveis , após cada síntese de avaliação.

16.10. Classificação


A classificação em uma série específica, exceto a primeira do Ensino Fundamental, será feita para alunos da própria Escola, com aproveitamento da série anterior ou não, ou para alunos vindos por transferência de outra escola.

A classificação sem documentação escolar anterior, para alunos vindos de outros estabelecimentos, será realizada da seguinte forma:

- inicialmente, o responsável pelo aluno deverá indicar a série em que pretende a matrícula, através de requerimento encaminhado ao Diretor da Escola, observando a correlação com a idade;

- serão realizadas provas da base nacional comum, com conteúdo da série imediatamente anterior á pretendida e uma redação em língua portuguesa;

- o aluno será avaliado por uma comissão de no mínimo três professores ou especialistas, para verificar o grau de desenvolvimento e maturidade do candidato para cursar;

- a ata de classificação será assinada por: Secretária, comissão dos professores ou especialistas e pelo Diretor da Escola.

A Escola abre a possibilidade de classificar o aluno até no máximo um mês após o início das aulas.


16.11. Reclassificação


A Escola poderá reclassificar o aluno para outra série, com base na idade ou na competência e até um mês após o início das aulas.

O processo de reclassificação dar-se-á da seguinte forma:


- inicialmente, o responsável pelo aluno deverá indicar a série em que pretende a matrícula, através de um requerimento encaminhado ao Diretor da Escola, observando a correlação com a idade;

- serão realizadas provas da Base Nacional Comum com conteúdo da série imediatamente anterior à pretendida e uma redação em língua portuguesa;

- o aluno será avaliado por uma comissão de, no mínimo, três professores ou especialistas, para verificar seu grau de desenvolvimento e maturidade para cursar a série pretendida;

- a ata de reclassificação será assinada por: Secretária, comissão de professores ou especialistas e Diretor da Escola.

17. MATRÍCULAS

Serão aceitas matrículas para os cursos do NOME DA ESCOLA.

- na Educação Infantil, por admissão ou transferência, durante todo o período letivo, observada a existência de vagas;

- no Ensino fundamental, as matrículas de admissão serão efetuadas até 10 (dez) dias letivos após o início das atividades letivas previstas em calendário e, por transferência, em qualquer momento do ano letivo, observada a existência de vagas.


Tanto as matrículas por admissão ou transferência deverão observar as condições e procedimentos previstas no REGIMENTO ESCOLAR.


18. TRANSFERÊNCIAS

As transferências serão efetuadas e admitidas de acordo com a legislação em vigor e aceitas em qualquer época do ano, na dependência de existência de vagas e anteriormente ao último bimestre escolar do ano letivo.

Os alunos recebidos por transferência estarão sujeitos ao processo de classificação, nos termos previstos no Art. 72 e Art. 73 do Regimento Escolar.

Plano de Escolar - Escola Particular Professora Helena Valente - Infantil/Fundamental
----------------------------------------------------------------

19. PROPOSTA PEDAGÓGICA

Clique em "projeto pedagógico", dentro de "Gestão Escolar", no menu esquerdo, para acessar as propostas pedagógicas que constam deste modelo de plano escolar



São Paulo, 06 de janeiro, 2004.


________________________________
Diretor
(assinatura e carimbo)

Obs.:

- rubricar todas as vias e assinar a última, apondo carimbo do Diretor, com o Registro no MEC;

- entregar 02 vias originais, sendo que uma será devolvida à escola, homologada;

ANEXO
GRADES CURRICULARES - 2004




Educação Infantil
Ensino Fundamental


GRADE CURRICULAR - 2004
EDUCAÇÃO INFANTIL


A escola oferece aos alunos de forma optativa os seguintes cursos descritos abaixo, através de professores autônomos ou Instituições Auxiliares, contratadas para a prestação de serviço especifico.

- Ballet - a partir dos 3 anos;
- Judô - a partir dos 3 anos;
- Natação _ a partir dos 2 anos;
- Informática _ a partir dos 3 anos.


São Paulo, 06 de janeiro, 2004

____________________________
Diretora
(assinatura e carimbo)


GRADE CURRICULAR - 2004
ENSINO FUNDAMENTAL



OBSERVAÇÕES:

1. As aulas de Educação Física são ministradas a partir da 1ª Série, por professor especializado;
2. Todas as aulas têm duração de 50 minutos;
3. São oferecidas, como aulas opcionais, Balé e Judô, para as classes de 1ª a 4ª séries;
4. No ano letivo de 2004 serão oferecidas somente classes de 1a. e 2a. Séries.

São Paulo, 12 de janeiro, 2004


NOME DA ESCOLA.
RELAÇÃO DE PESSOAL
(exemplo ilustrativo)
 
NOME DA ESCOLA.CALENDÁRIO - 2004


2 comentários:

  1. Muito bom! Estou organizando a documentação da minha escola para legalização e seu blog tem me ajudado muito! Por favor poste mais informações sobre esse processo de abertura de escola. Obrigada

    ResponderExcluir
  2. EXCELENTE,VAI SERVIR MUITO PARA MINHA COLEGA,ESTAVA PROCURANDO SEMANA PASSADA PRA ELA,SÓ AGORA ENCONTREI UM LEGAL,SABIA QUE IA ENCONTRAR AQUI,TEM DE TUDO MESMO!!!

    ResponderExcluir

Criem, recriem, sugiram, critiquem, comentem ... Façam conosco um ideia Criativa melhor!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...