sexta-feira, 15 de junho de 2012

Texto Reflexivo Educar com amor, porém não sem luta!

Texto Reflexivo Educar com amor, porém não sem luta!


O termo educacional mais relevante que quero considerar hoje é a palavra AMOR ( não o amor paternal, mas o amor incondicional que deve permear o fazer pedagógico, o amor que salta aos olhos do professor que realmente se importa com o que faz e com o peso que tem sua palavra na formação do educando ), pois em meio ao caos que se instala esse é o único combustível que nos mantem na luta .
Amar a profissão é demonstrar paixão pelo que faz despertando a empatia do educando através do fazer e não do amor excludente. O que é o amor excludente? 
É aquele em que você acaba amando determinado grupo de alunos e não outro, em que você ama o mais comportado, o mais levado, o mais atencioso, o mais carinhoso, o mais excepcional etc, .O amor que te faz , no momento do planejamento pensar de forma emotiva e cuidar de aplicar a aula do modo em que determinado aluno aprenda esquecendo -se dos demais "menos amados" ou "não amados de forma tão intensa". 
 A única maneira de amar a todos é amando o fazer pedagógico, e é desse modo que todos são verdadeiramente amados e isso sim é profissionalismo. É através desse fazer pedagógico amoroso, apaixonado e cativante que o professor começa a ser admirado pelo educando e o auxiliando no aprendizado. Acredito mesmo que há aprendizado em potencial onde existe admiração. 
O professor que verdadeiramente ama seu aluno recebe a admiração dele , o conquista e assim ensina e aprende com ele em uma troca mútua de conhecimentos , pois na realidade ninguém é dono da verdade.
Nós professores, na perspectiva do modelo de educação atual não somos detentores do saber, mas mediadores nesse processo de aquisição de conhecimento e autonomia do educando.
 Não é das profissões mais simples, é das profissões mais humanas Considero que nossos alunos são seres humanos em formação, são seres humanos que precisam de auxílio para se tornarem críticos, conscientes de seu papel social, menos egoistas e mais humanos, por isso não consigo conceber um professor que xinga seus alunos chamando-os demônios como um bom educador, como um verdadeiro profissional , pois demonstra falta de ética profissional, falta de amor à sua prática pedagógica e falta de altruismo.
Uma vez que se acredita que nós professores conseguimos alcançar certa autonomia ( embora muitos sejam apenas alienados do sistema trabalhando para firmar ainda mais o domínio dos políticos sobre a massa popular) deve se acreditar também que possamos criar meios de apropriação de nossos direitos que são descaradamente violados pelo governo e isso só se faz com luta; luta essa que requer uma postura firme, forte e nunca emotiva . Xingar alunos, pais de alunos e colegas de profissão na rede como forma de desabafo demonstra não indignação e sim falta de competência para saber como lutar .Precisamos lutar com as armas que temos de forma ética, profissional e unida.

Conhecemos nossos direitos, os alunos conhecem os deles o que precisamos é ver nosso aluno como gente, como ser humano, como carente de mediação de aprendizado em meio a esse turbilhão de informações trazidas pela mídia e pelas redes sociais que os ensina apenas o consumismo e o egoismo ... Isso é desafio, sei que não para todos , mas pra quem ainda tem esperança e coragem para lutar . 
Talvez essa luta emotiva que presenciamos em forma de ataque aos educandos chamando-os capetas, diabos, demônios, mulas se deva a total falta de esperança de uma das classes mais desunidas desse país. 
Mas não esqueçamos que  
"quando lutamos, enquanto desesperançados ou desesperados, a nossa é uma luta suicida, é um corpo-a-corpo puramente vingativo." Paulo Freire
 Não podemos em hipótese alguma deixar de focar em nossas necessidades em lugar de atacar quem também é prejudicado pelo sistema, pois caso não estejamos lembrando é coisa muito simples se tornar professor nesse país. Qualquer um pode ser professor, em alguns municípios após realização de uma prova o aluno aprovado é chamado e sem passar por nenhum teste de nenhum tipo adentra a sala de aula e fica na educação por 25 anos esperando a aposentadoria e empurrando com a barriga, assassinando aluno. Pois não tem amor ao fazer pedagógico, pouco ou nada faz , pelo contrário, impede que uma minoria que luta por melhores condições consiga alçar a voz e conseguir melhores condições de emprego e salário digno.
O caos na educação está instalado. E por qual motivo estamos nessa situação caótica?
Respondo caríssimos colegas.

1º Não temos um órgão nacional sem vínculo governamental que regulamente a profissão de professor ( não de pedagogo apenas, mas professor), por conta disso dependemos de leis criadas por políticos e rejeitadas por políticos.
2º Temos o apoio dos sindicatos que em boa parte do pais está ligado ao governo ( raros poucas exceções) ...
 3º Temos em nosso meio os apadrinhados políticos que sequer fizeram um cursinho básico de magistério e estão como gestores em espaços de atuação de pessoas capacitadas para tal, enquanto verdadeiros profissionais preparados para desempenhar a função estão jogados em salas super lotadas com 50 e até 60 alunos.
 4º Somos a classe mais desunida do pais, uma vez que cada estado luta sozinho se é que se pode chamar de luta esse suicídio profissional .
Estou revoltada com atitudes de determinados docentes que jogam nosso nome na lama se mostrando péssimos profissionais . Para esses nunca haverá mudança satisfatória , sempre terão uma muleta pra se apoiar e de certo modo justificar o injustificável que é ir pra uma rede de porte mundial xingar seus alunos. Enquanto, repito não tivermos um órgão que regulamente a profissão e enquanto nós educadores não formos responsáveis por criar as leis de apoio a nossa profissão e enquanto não tivermos meio de fazer uma triagem para que verdadeiros profissionais estejam mediando o aprendizado do educando em busca de sua autonomia, nada vai mudar .Continuaremos nessa situação catastrófica . 
Acreditamos piamente que:
" A luta dos professores  em defesa de seus   direitos e de sua dignidade deve ser entendida como um momento importante de sua prática docente, enquanto prática ética.
Não é algo que vem de fora da atividade docente, mas algo que dela faz parte." Paulo Freire
Se você é professor e se recusa a lutar, então nunca aprendeu a amar sua classe.
Educar com amor é lutar por um direito seu , mas de forma coletiva,  unida e perceber que a aquisição de melhores condições de emprego influenciará diretamente na qualidade da aula que terá seu aluno. 
Fazer conchavos políticos em benefício próprio não é atitude de educador , é atitude de mercenário. 
Barganhar para que determinado prefeito lhe conceda uns vinténs a mais enquanto toda uma classe sofre e os alunos perdem o prazer por estar inserido no espaço escolar é atitude de pessoa egoista e alienada não de verdadeiro educador.
Eu amo minha profissão , amo meus colegas, amo os estudantes brasileiros, padeço como mãe de aluno da mesma dor de muitas que um dia tiveram que confiar seus filhos a profissionais medícores que nem lutam, nem amam o que fazem, que estão apenas colocadas em um espaço que poderia ser ocupado por quem realmente se importa com o aluno, com a profissão e é esclarecido o suficiente para compreender que sozinho não se ganha nenhuma batalha, quanto mais a guerra. Minha angústia é que  enquanto eu e você queremos lutar uma turma de alienados baixa a cabeça para o governo e ainda posso ver professores auxiliares em sala de aula recebendo 200 reais por mês, ainda vejo o sindicato da minha cidade em acordo com meia dúzia de professores ignorando uma paralisação nacional e ainda vou viver muito pra continuar indignada com a certeza que não existe união em nosso meio, mas existe esperança e é por isso que ainda lutamos. 

 Gi Barbosa Carvalho.
 
Se você deseja lutar junto e tem um perfil no Facebook clique AQUI, COMPARTILHE e nos ajude a espalhar esta reivindicação que é:
Nº de alunos por turma:
Educação Infantil :15 alunos
Ensino Fundamental: 20 alunos
Escola não é depósito de crianças
Respeitem minha profissão 
E isso não é apenas sonho ... É luta! 
Ter livro didático era sonho, computadores na escola era sonho, merenda era sonho. Hoje é realidade e conservo viva a esperança de que o número reduzido de alunos por turma será uma realidade doce dentro em breve!

8 comentários:

  1. muito interessante, to com vc...eu apoio...

    ResponderExcluir
  2. eu apoio...muito legal este seu texto.

    ResponderExcluir
  3. Primeiro o professor tem que amar sua profissão, para transmitir esse amor aos seus alunos.

    ResponderExcluir
  4. o amor faz toda a diferença em qualquer lugar do mundo,e nessa profissao tao inspiradora ter um amor alem do limite é o que faz a diferença no aprendizado

    ResponderExcluir
  5. Ainda continuo sonhando com material didático, com livros, com parquinho, enfim com um condição digna de exercer o trabalho, porém concordo com tudo principalmente com a nossa desunião. Gostaria de um órgão que representasse os educadores.

    ResponderExcluir
  6. amar seus alunos, sua profissão não significa que professores não tenham necessidades materiais, pois, hipócrita é quem acredita que só de amor vive o homem.

    ResponderExcluir
  7. É BEM ISSO MESMO ESCOLA NÃO É DEPOSITO!!TEMOS QUE REIVINDICAR MUITOS DE NOSSOS DIREITOS DE PROFISSÃO MAS TEMOS TAMBÉM QUE PENSAR EM NOSSAS CRIANÇAS QUE MERECEM O MELHOR QUE PODEMOS LHES DAR.

    ResponderExcluir
  8. parabéns pelo texto, fiquei bem satisfeita em ler ele e aprender muito com ele, muito bom, explicativo e inspirador, parabéns por trazer um texto tão bom para nosso meio, obrigada

    ResponderExcluir

Complemente esta postagem com suas sugestões. É sempre muito interessante enxergar outras formas de aplicação de determinada proposta ou os muitos pontos de vista de nossas leituras e reflexões.
Esperamos ansiosos sua colaboração!

Pesquisa Ideia Criativa mais de 20.000 sugestões

Esta é a forma mais fácil de encontrar o que você procura neste site.
Basta digitar a palavra e pesquisar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...