terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

RCNEI - Eixos Temáticos Movimento e Artes Visuais- O que trabalhar com Crianças de zero à três Anos

Aprender sobre como educar e estimular as crianças desde bem cedo é imprescindível a todo educador que deseja ter sucesso.

Abaixo temos um resumo do que escrito está no RCNEI vol 3 que você pode baixar e ler por completo juntamente com os outros dois volumes sobre Educação de Bebês na faixa etária de zero a três anos dentro dos eixos temáticos Artes e Movimento.

Boa leitura
RCNEI - Eixos Temático Movimentos e Artes Visuais- O que trabalhar com Crianças de zero à três Anos

Eixo  Temático Movimento  

Objetivos

Crianças de zero a três anos

A prática educativa deve se organizar de forma a que as crianças desenvolvam as
seguintes capacidades:
  •  familiarizar-se com a imagem do próprio corpo;
  • explorar as possibilidades de gestos e ritmos corporais para
  • expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de
  • interação;
  • deslocar-se com destreza progressiva no espaço ao andar, correr,
  • pular etc., desenvolvendo atitude de confiança nas próprias
  • capacidades motoras;
  •  explorar e utilizar os movimentos de preensão, encaixe,
  • lançamento etc., para o uso de objetos diversos.

Conteúdos 


Os conteúdos estão organizados em dois blocos. O primeiro refere-se às possibilidades
expressivas do movimento e o segundo ao seu caráter instrumental.

Expressividade 


  •  Reconhecimento progressivo de segmentos e elementos do próprio corpo por meio da exploração, das brincadeiras, do uso do espelho e da interação com os outros.
  •  Expressão de sensações e ritmos corporais por meio de gestos,posturas e da linguagem oral.


Equilíbrio e coordenação

  • Exploração de diferentes posturas corporais, como sentar-se em diferentes inclinações, deitar-se em diferentes posições,
  • ficar ereto apoiado na planta dos pés com e sem ajuda etc.
  • Ampliação progressiva da destreza para deslocar-se no espaço por meio da possibilidade constante de arrastar-se, engatinhar,
  • rolar, andar, correr, saltar etc.
  • Aperfeiçoamento dos gestos relacionados com a preensão, o encaixe, o traçado no desenho, o lançamento etc., por meio da experimentação e utilização de suas habilidades manuais em diversas situações cotidianas.
Organização do tempo

  • pesquisar diferentes danças tradicionais brasileiras para selecionar aquela que mais interessar às crianças;
  • informar-se sobre a origem e história da dança selecionada;
  •  desenvolver recursos expressivos e aprender os passos para a dança;
  • confeccionar as roupas necessárias para a apresentação;
  •  planejar a apresentação, confeccionando cartazes, convites etc.

Eixo  Temático Artes



Artes Visuais devem ser concebidas como uma linguagem que tem estrutura e características próprias, cuja aprendizagem, no âmbito prático e reflexivo,se dá por meio da articulação dos seguintes aspectos:

  • fazer artístico — centrado na exploração, expressão e comunicação de produção de trabalhos de arte por meio de práticas artísticas, propiciando o desenvolvimento de um percurso de criação pessoal;
  •  apreciação — percepção do sentido que o objeto propõe,articulando-o tanto aos elementos da linguagem visual quanto aos materiais e suportes utilizados, visando desenvolver, por meio da observação e da fruição, a capacidade de construção de sentido, reconhecimento, análise e identificação de obras de arte e de seus produtores;
  • reflexão — considerado tanto no fazer artístico como na apreciação, é um pensar sobre todos os conteúdos do objeto artístico que se manifesta em sala, compartilhando perguntas e afirmações que a criança realiza instigada pelo professor e no contato com suas próprias produções e as dos artistas.

OBJETIVOS
Crianças de zero a três anos

  • A instituição deve organizar sua prática em torno da aprendizagem em arte, garantindo oportunidades para que as crianças sejam capazes de: 
  • ampliar o conhecimento de mundo que possuem, manipulando diferentes objetos e materiais, explorando suas características, propriedades e possibilidades de manuseio e entrando em contato com formas diversas de expressão artística;
  •  utilizar diversos materiais gráficos e plásticos sobre diferentes superfícies para ampliar suas possibilidades de expressão e comunicação.

O fazer artístico

CRIANÇAS DE ZERO A TRÊS ANOS

  • Exploração e manipulação de materiais, como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo etc.; de meios, como tintas, água, areia, terra, argila etc.; e de
  • variados suportes gráficos, como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras etc.
  • Exploração e reconhecimento de diferentes movimentos gestuais, visando a produção de marcas gráficas.
  • Cuidado com o próprio corpo e dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes.
  • Cuidado com os materiais e com os trabalhos e objetos produzidos individualmente ou em grupo.

Apreciação em Artes Visuais


CRIANÇAS DE ZERO A TRÊS ANOS

  •  Observação e identificação de imagens diversas.

Organização do tempo

A organização do tempo em Artes Visuais deve respeitar as possibilidades das crianças relativas ao ritmo e interesse pelo trabalho, ao tempo de concentração, bem como ao prazer na realização das atividades.
É aconselhável que o professor esteja atento para redimensionar as atividades propostas, seja em relação ao tempo, ou à própria atividade. Cada criança, pelo seu ritmo, demonstra a necessidade de prolongar o tempo de trabalho ou de reduzi-lo, quando for o caso.
No que diz respeito à organização do tempo pode-se apontar três possibilidades de
organização: as atividades permanentes, as seqüências de atividades e os projetos.

ATIVIDADES PERMANENTES

São situações didáticas que acontecem com regularidade diária ou semanal, na rotina das crianças. Os ateliês ou os ambientes de trabalho nos quais são oferecidas diversas atividades simultâneas, como desenhar, pintar, modelar e fazer construções e colagens, para que as crianças escolham o que querem fazer, é um exemplo de atividade permanente. Esses ateliês permitem o desenvolvimento do percurso individual de cada criança, na medida em que elas podem fazer suas escolhas, regular por si mesmas o tempo dedicado a cada produção e experimentar diversas possibilidades. É aconselhável também que se
garanta um tempo na rotina para que as crianças possam desenhar diariamente sem a intervenção direta do professor.

SEQUÊNCIAS DE ATIVIDADES

A seqüência de atividades se constitui em uma série planejada e orientada de tarefas, com objetivo de promover uma aprendizagem específica e definida. São sequências que podem fornecer desafios com diferentes graus de complexidade, auxiliando as crianças a resolverem problemas a partir de diferentes proposições. Por exemplo, se o objetivo é fazer com que elas avancem em relação à representação da figura humana por meio do desenho, pode-se planejar várias etapas de trabalho complementares, ajudando-as numa elaboração progressiva e cada vez mais rica de seus conhecimentos e habilidades, como:
  • jogos de percepção e observação do seu corpo e do corpo de seus colegas;
  • desenhar a partir de uma interferência colocada previamente no papel, que pode ser um desenho ou uma colagem de uma parte do corpo humano; 
  • observação de figuras humanas nas imagens da arte;
  • desenho a partir do que foi observado; 
  • observação de corpos em movimento pesquisados em revistas, em vídeos, em fotos;
  • representação figurativa por meio do desenho das apreensões perceptivas do corpo;
  •  montagem de painéis que contenham ampliações dos desenhos de figuras humanas elaborados pelas crianças do grupo. 

Organização do espaço

A organização da sala, a quantidade e a qualidade dos materiais presentes e sua disposição no espaço são determinantes para o fazer artístico.
É aconselhável que os locais de trabalho, de uma maneira geral, acomodem confortavelmente as crianças, dando o máximo de autonomia para o acesso e uso dos materiais. Espaços apertados inibem a expressão artística, enquanto os espaços suficientemente amplos favorecem a liberdade de expressão. Nesse sentido, vale lembrar que os locais devem favorecer o andar, o correr e o brincar das crianças. Devem, também, ser concebidos e equipados de tal forma que sejam interessantes para as crianças, ativando o desejo de produzir e o prazer de estar ali. Precisam, igualmente, permitir o rearranjo do
mobiliário de acordo com as propostas. Faz parte do processo criativo uma certa desordem
no local de trabalho causada, por exemplo, pela variedade de materiais utilizados. A arrumação do espaço ao término das atividades deve envolver a participação das crianças.
O espaço deve possibilitar também a exposição dos trabalhos e sua permanência nesse local pelo tempo que for desejável.

PRADO, Iara, SANTOS, Marilene, Referencial Curricular Nacional para educação, disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/volume3.pdf ... acesso em 04.02.2014

Um comentário:

  1. Blogger maravilhoso e dicas que irão nos ajudar na nossa pratica.

    ResponderExcluir

Complemente esta postagem com suas sugestões. É sempre muito interessante enxergar outras formas de aplicação de determinada proposta ou os muitos pontos de vista de nossas leituras e reflexões.
Esperamos ansiosos sua colaboração!

Pesquisa Ideia Criativa mais de 20.000 sugestões

Esta é a forma mais fácil de encontrar o que você procura neste site.
Basta digitar a palavra e pesquisar!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...